SERIGRAFIA ALIMENTAR

Produtos de chocolate, pastelaria, confeitaria, padaria, charcutaria ou de cozinha criativa podem ser decorados e personalizados através do processo serigráfico, o que possibilita a criação de projectos fantásticos, para diferentes tipos de suporte (chocolate, gelatina, ázimo, gelado, mousse, pasta de biscoito, pasta de açúcar, etc.), respeitando todas as normas alimentares (Certificação ISO 22000).

Para produção de grandes quantidades de desenhos/logotipos (mais de 250 Unidades), a impressão é feita normalmente, com manteiga de cacau e corantes alimentares/comestíveis ou gel (ouro, prata, branco, vermelho, etc.) em folhas de decalque (transfer). Nunca usar corantes líquidos, que poderão endurecer a manteiga de cacau. A manteiga de cacau é aquecida (placa/microondas) para total dissolução, antes da ser colocada sobre a matriz serigráfica. Um sistema de aquecimento permitirá manter a manteiga de cacau na temperatura conveniente, evitando o endurecimento da pasta durante a impressão (utilizar/sucção).


Esta é a chamada impressão indirecta: Sobre a folha de decalque (impressão invertida) é espalhado o chocolate derretido. Depois de endurecido a imagem transfere-se para a superfície do chocolate e a folha de suporte deve ser retirada. Saber mais em Serigrafia em chocolate.


A outra alternativa é a impressão directa da manteiga de cacau e corantes comestíveis, sobre os produtos alimentares a decorar, que serão colocados sobre o tampo do sistema de impressão. As decorações serigráficas realizadas pelo princípio da quadricromia, são normalmente feitas em folhas de ázimo (azyme/wafer) - pasta de pão cozido sem fermento, produzida a partir de trigo (insípida), ou de sêmola batata (na Holanda) e de farinha de arroz (para o mercado Asiático).

 

Outro exemplo de impressão directa: Saber mais em Serigrafia sobre crepes.

This category currently has no associated content.